Fumaça tóxica de incêndios encobre Sidney

Fumaça tóxica de incêndios encobre Sydney

Nos últimos dias, Sidney tem acordado em estado de atenção, com alarmes de fumaça tóxica tocando por toda a cidade. Os alertas chamam a atenção também para as péssimas condições climáticas e têm sido causados pelos incêndios florestais que acometem o leste da Austrália há meses.

Com a cidade em alerta, todos os serviços de balsas foram paralisados e fechados, assim como os pontos turísticos. Segundo moradores, esta é uma das piores névoas já vistas em toda a sua história

O problema, segundo as autoridades locais, não ficou apenas no leste do país e se estendeu até a Nova Zelândia, país situado a mais de dois mil quilômetros de distância.

Fumaça tóxica prejudica saúde da população

Sydney vive momentos de tensão, com alarmes de fumaça tóxica tocando por toda a cidade, causados pelos incêndios florestais que acometem o leste da Austrália há meses.

Muito além do disparo dos detectores de fumaça e do caos instaurado na cidade, a névoa encontrada na região trouxe consigo uma preocupação ainda maior com a segurança e a saúde dos habitantes locais.

Isso porque, a fumaça causada por um incêndio é muito intensa e densa, o que faz com que o trânsito se torne ainda mais perigoso, seja de pedestre ou automóveis.

A situação se agrava ainda mais com os fortes ventos e a temperatura elevada, que colocam as condições climáticas em níveis preocupantes.

Além disso, os incêndios de um modo geral causam fumaças altamente tóxicas, cheia de componentes que fazem mal à saúde.

Sydney, considerada a cidade de maior população do país, registrou um índice de qualidade do ar 11 vezes superior ao limite considerado perigoso. Os dados foram revelados pelo governo em entrevistas e comunicados oficiais.

Como se dá a contaminação?

A nuvem de fumaça provocada pelos incêndios florestais devasta não apenas a vegetação local, como também a saúde da população. A contaminação, aliás, se dá através dos ventos fortes que acometem a região.

Eles são os responsáveis por levar a fumaça para diversas cidades do país – muito além de Sidney.

Além disso, as altas temperaturas também ajudam a propagar a fumaça e o ambiente insalubre, fazendo com que o número de pessoas contaminadas aumente consideravelmente. 

Para se ter uma ideia, somente na primeira quinzena de dezembro, os serviços de saúde registraram um aumento de 48% no número de pessoas atendidas por problemas respiratório. O total é em comparação à média dos últimos cinco anos.

Além disso, desde setembro, ao menos seis pessoas morreram e quase dois milhões de hectares foram destruídos. O montante é equivalente à metade da Suíça.

Não à toa, autoridades da área da saúde e organizações do mundo todo têm pedido que o governo tome medidas para reduzir as emissões de poluentes. Segundo eles, os incêndios têm efeitos devastadores para a saúde humana e para a sobrevivência do planeta de um modo geral.

Causas do incêndio

De acordo com as autoridades locais, os incêndios foram provocados pela grande seca que reina sobre o país. No entanto, há quem acuse a intensa atividade mineradora como a grande responsável pelos problemas ambientais australianos.

A crise e as críticas chegam, também, ao governo. Acusado de não cuidar do país e nem levar em consideração as advertências de ambientalistas em relação às mudanças climáticas, o governo tem sido alvo de duras críticas.

WhatsApp chat