Coronavírus e EPI: quais os equipamentos indicados?

Nos últimos meses, o Brasil e o mundo tem vivido momentos de tensão e incerteza devido ao coronavírus. Também conhecido como Covid-19, a doença, que é altamente contagiosa, mata milhares de pessoas em diversos países diariamente.

O aumento no número de casos e, consequentemente, de mortes, tem levado a sociedade de um modo geral a procurar por equipamentos de proteção (máscaras, luvas e óculos) como uma forma de se prevenir do contágio.

Apesar de tanta preocupação, outra dúvida surge neste momento: afinal, quais os equipamentos de proteção pessoal podem ajudar a inibir a disseminação do vírus?

O que são EPIs?

Altamente contagioso, o coronavírus tem aumentado a procura por equipamentos de proteção, dentre os quais destacam-se as máscaras, luvas e óculos, que antes eram utilizados apenas em algumas profissões.

Conhecida internacionalmente, a sigla se refere aos equipamentos de proteção individual. Geralmente, eles são utilizados contra possíveis riscos que ameaçam a saúde ou segurança durante o exercício de uma determinada atividade.

Compostos por óculos, protetores auriculares, máscaras, mangotes, capacetes, luvas, botas, cintos de segurança, protetor solar, entre outros outros itens de proteção, os EPIs são utilizados para evitar que profissionais dos mais diversos setores fiquem expostos a doenças, produtos químicos e ácidos. 

No que se refere à Covid-19, os equipamentos têm desempenhado um papel fundamental. Isso porque, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determina o uso de EPIs específicos por profissionais de saúde.

Esta é uma das formas que o órgão prevê para ajudar a evitar contágio durante o atendimento e coleta/descarte de lixo.

Quais os equipamentos indicados contra o coronavírus?

Muito além das máscaras, os profissionais da área de saúde, assim como pacientes infectados e outros, devem apostar em equipamentos específicos que garantam a sua segurança. Os modelos, é claro, variam de acordo com o ambiente e forma de contato. 

Profissionais da saúde com contato direto com o paciente, por exemplo, devem utilizar:

  • Máscara cirúrgica;
  • Capote;
  • Luvas;
  • Proteção ocular;
  • Avental;
  • Botas ou sapatos fechados (casos específicos);
  • Máscara N95 ou FFP2 (casos específicos).

Já os profissionais que trabalhem na área de saúde, mas não tem contato direto com pacientes portadores de Covid-19, não precisam de todo o aparato e devem utilizar apenas máscara cirúrgica e luva, quando necessário.

Falta de EPIs em centros médicos

A pandemia trouxe com ela uma escassez de equipamentos de proteção individual, além de ventiladores mecânicos e outros materiais necessários para manter os pacientes a salvo.

Em meio a dificuldades de itens e, especialmente, de abastecimento dos estoques, aliado ao cancelamento de compras internacionais e racionamento, profissionais da saúde tem comprado o seu próprio EPI.

Do outro lado, milhares de pessoas tem se reunido para arrecadar dinheiro e suprimentos para hospitais e centros médicos de um modo geral. Além disso, há, ainda, quem tem optado por produzir suas próprias máscaras, como uma forma de ajudar no combate.

Como prevenir o coronavírus?

Ainda que os EPIs exerçam uma função fundamental de proteção e combate ao coronavírus, idealmente, as pessoas devem permanecer em suas casas, em isolamento social completo.

Somente dessa forma será possível impedir que o vírus se espalhe ainda mais. Mas, caso seja, de fato, necessário sair, seja para trabalhar ou para ir ao supermercado, por exemplo, recomenda-se a utilização de máscaras e luvas durante todo o trajeto. 

Além disso, há algumas medidas que ajudam a combater o vírus e são amplamente divulgadas e indicadas pelo Ministério da Saúde, como:

  • Lavar as mãos com frequência;
  • Usar lenço descartável para higienizar as narinas;
  • Cobrir nariz e boca ao tossir ou espirrar;
  • Manter os ambientes bem ventilados;
  • Evitar contato próximo com pessoas e animais enfermos em fazendas ou criações etc;
  • Usar álcool em gel 70% nas mãos para higienizá-las.

Esta é, sem dúvidas, uma das crises sanitárias mais difíceis e impactantes dos últimos tempos.

Com o mundo inteiro à procura de vacinas para curar os doentes e soluções para evitar a disseminação do vírus, os equipamentos de proteção desempenham um papel fundamental. Por outro lado, são o apoio que os profissionais da área da saúde precisam.

Neste momento em que todos têm se unido, a única certeza que temos é que se cada um fizer a sua parte, no fim, tudo dará certo. Por isso, também, reforçamos nosso compromisso com os clientes e mantivemos o funcionamento de nossa operação para levar sempre o melhor para você, de forma segura e transparente.

WhatsApp chat