Classes de incêndio: para que servem?

Você sabia que existem diversas classes de incêndio e que há extintores específicos para cada uma delas? Apesar de parecerem todos iguais em um primeiro momento, os acidentes são ocasionados por materiais diferentes. Por isso, a separação é fundamental para identificar o problema e combatê-lo de forma mais eficaz.  

Divididas de acordo com o tipo de material gerador do fogo, as cinco classes de incêndio são fundamentais para todo o processo de combate – desde a instalação de sistemas preventivos à utilização dos extintores corretos.

A mais variadas classes de incêndio são fundamentais para identificar o foco do fogo e combater os incidentes de forma mais eficaz desde o princípio.

Quais são as classes de incêndio

Divididas entre as letras A, B, C, D e K, as cinco classes são utilizadas identificar a composição do produto que pode causar o fogo. Conheça abaixo cada uma delas e os materiais à que estão relacionadas.

Classe A

Um dos mais comuns em todo o mundo, o incêndio classe A se refere ao fogo relacionado à materiais que queimam em profundidade e extensão, como:

  • Papel;
  • Tecido;
  • Algodão;
  • Borracha;
  • Madeira, entre outros. 

Para combater esse tipo de fogo, o agente extintor deve ser a água. Isso porque, somente ela tem a capacidade de penetrar e resfriar o local afetado neste caso. Assim, é fundamental que sejam utilizados extintores classe A, conhecidos por serem portáteis e carregados com água.

Classe B

Assim como o primeiro, o incêndio Classe B também é bastante comum e recorrente, já que ocorre quando há queima de líquidos inflamáveis, graxas e gases combustíveis, como:

  • Óleo;
  • Gasolina;
  • Querosene;
  • Graxas;
  • Tintas;
  • Álcool, entre outros.

Neste caso, no entanto, o incêndio pode ser combatido com extintores de pó químico, que funcionam por abafamento e interrompem rapidamente o processo de combustão e toda a reação causada pelo incêndio. Geralmente, usam-se os modelos BC e ABC.

Classe C

A classe de fogo conhecida como “C” está relacionada a incêndios em equipamentos elétricos sob tensão, como:

  • Máquinas;
  • Quadros de força;
  • Transformadores;
  • Computadores ou qualquer outro equipamento que utilize energia elétrica. 

Com uma corrente poderosa e que propaga rapidamente o fogo, com risco de explosão, o extintor utilizado deve ser de gás carbônico, de pó químico seco à base de bicarbonato de sódio ou potássio (BC) ou, ainda, a base de fosfato monoamônico (ABC). 

É importante lembrar que o fato de estarem conectados à energia elétrica, não é possível utilizar equipamentos de água ou espuma – apenas após a corrente ser cortada efetivamente. Isso porque os elementos podem piorar ainda mais a situação e aumentar o fogo.

Classe D

Alguns materiais, como sódio, lítio, magnésio, urânio, potássio, césio, alumínio, entre outros, apresentam uma tendência maior à combustão. Ou seja, mesmo que não haja uma fonte clara de ignição, os produtos podem entrar em combustão e causar incêndios de uma forma assustadoramente simples e rápida.

Justamente por conta dessa particularidade, os incêndios de classe D são extremamente perigosos e difíceis de controlar. Além de elementos perigosos, eles provocam uma reação em cadeia, impossibilitando o combate.

Assim, torna-se fundamental o uso de material apropriado para cada caso. Neste sentido, devem ser utilizados extintores especiais carregados com pó químico classe D, à base de sais especiais, capazes de isolar o metal do oxigênio.

É importante lembrar, ainda, que os incêndios de classe D não podem ser extinguidos com água, já que esse tipo de substância até agrava o problema.

Classe K

Por último, mas não menos importante, os incêndios classe K representam uma classificação muito mais recente e diferente de fogo. Geralmente relacionados à incidentes em cozinhas industriais e comerciais, que envolvem produtos e equipamentos utilizados para cozinhar, como banha, gordura e óleo, esses incêndios tem se tornado cada vez mais comuns e já são uma das principais causas de morte por fogo em todo o mundo.

Por estar relacionado à elementos altamente inflamáveis, esse tipo de fogo é de difícil combate e extremamente poderoso. Assim, é fundamental que toda cozinha industrial tenha uma unidade extintora portátil de classe K para combate rápido ao problema.

Importância das classes de incêndio

Que elas são fundamentais para garantir a segurança dos mais diversos ambientes, nós sabemos.

No entanto, tão importante quanto identificar as classes de incêndio, é preciso observar os equipamentos necessários para combater cada tipo de problema. Além disso, aliada à essa verificação, empreendimentos em geral – sejam eles comerciais ou residenciais – devem se atentar às normas e legislação, a fim de garantir que sempre estarão em segurança.

WhatsApp chat