Medidas preventivas para combate a incêndios florestais

Nos últimos dias, diversos casos de incêndios florestais têm sido registrados de norte à sul do país. O cenário tem chamado a atenção de autoridades e organizações não-governamentais com foco em meio ambiente, que trabalham diariamente para promover e criar medidas preventivas para combate a incêndios florestais. 

Incêndios em MS crescem 389%

O governo do Mato Grosso do Sul criou um plano de ação para o segundo semestre do ano. A intenção, segundo as autoridades, é estar preparado para incêndios de grandes proporções, como os que ocorreram no Pantanal entre os meses de março e abril deste ano.

Na ocasião, a região registrou queimadas que arrasaram com as terras. Segundo dados do próprio governo, em 2019, o estado registrou mais de 11,6 mil focos de incêndio florestal, um aumento de 389% em relação a 2018.

Assim, além do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) ter antecipado a contratação de brigadistas, o governo reativou o Comitê Interinstitucional de Combate a Incêndios Florestais, que conta com Semagro, Imasul, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Ibama, por meio do PrevFogo, de forma permanente e deu início a uma série de ações preventivas. 

O governo também está concluindo a licitação para garantir horas de voo em deslocamentos de aeronaves vindas de outros estados. A ideia é que, caso haja necessidade, o estado possa contar com equipes de combate a incêndio aéreo.

Ainda neste sentido, as autoridades prevêem a aquisição de uma aeronave para o combate a incêndios, destinada para o Corpo de Bombeiros, com recursos do Instituto Estadual de Meio Ambiente (Imasul). 

Neste mês, foi lançada também a campanha estadual de combate a incêndios, que tem propostas diversas a cada ano, mas sempre com o mesmo objetivo: combater e prevenir o fogo.

Autoridades e ONGs trabalham diariamente para criar medidas preventivas para combate a incêndios florestais.
(Foto: Divulgação/Ibama)

DF e SP entram na onda e criam medidas preventivas para combate a incêndios florestais

A chegada do período de estiagem no Distrito Federal requer uma série de cuidados com o meio ambiente. Afinal, há um aumento considerável na possibilidade de incêndios florestais neste período.

Desta forma, o Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal (CBMDF) tem intensificado as ações preventivas e já colocou em andamento as operações com equipes exclusivas. 

Cerca de cinquenta militares foram designados para esta função preventiva. Eles serão capacitados para atuar no combate a incêndios no Cerrado. 

Assim como eles, os moradores da região também recebem orientações básicas para evitar as ocorrências e aprendem a confeccionar abafadores. Com isso, em caso de incêndio, o morador pode utilizar o material antes da chegada das viatura de primeiros socorros.

No estado de São Paulo, o Governo Estadual criou a Operação Corta-Fogo. O conjunto de ações desenvolvido especialmente para a época da estiagem, tem como objetivo prevenir, controlar, monitorar e combater incêndios florestais. 

Para que as atividades sejam desempenhadas de forma permanente, a operação é dividida em três fases ao longo do ano: Verde, Amarela e Vermelha. Cada uma delas acontece de acordo com as necessidades de cada período.

Entre os meses de junho e outubro, que requer medidas emergenciais rápidas, amplas e coordenadas, por exemplo, é ativada a fase vermelha. Com isso, a equipe treinada tem como foco o combate ao fogo e a fiscalização. Além disso, essa fase também prevê a intensificação das estratégias de comunicação e campanhas preventivas.

De norte à sul, estados e cidades tem se conscientizado da importância da prevenção para reduzir o número de catástrofes, naturais ou não.

WhatsApp chat